sexta-feira, 13 de abril de 2012

Dia do beijo



Como hoje é dia do beijo, foi logo a primeira notícia que ouvi quando liguei a rádio, lembrei-me deste poema de Florbela Espanca:

«Horas Rubras
Horas profundas, lentas e caladas 
Feitas de beijos rubros e ardentes, 
De noites de volúpia, noites quentes 
Onde há risos de virgens desmaiadas... 

Oiço olaias em flor às gargalhadas... 
Tombam astros em fogo, astros dementes, 
E do luar os beijos languescentes 
São pedaços de prata p'las estradas... 

Os meus lábios são brancos como lagos... 
Os meus braços são leves como afagos, 
Vestiu-os o luar de sedas puras... 

Sou chama e neve e branca e mist'riosa... 
E sou, talvez, na noite voluptuosa, 
Ó meu Poeta, o beijo que procuras! 

Florbela Espanca, in "Livro de Sóror Saudade"
»






9 comentários:

Vanessa. disse...

E que belo poema!

belle du jour disse...

a Florbela era uma mulher verdadeiramente Linda! talentosa, ímpar!

Pretty in Pink disse...

Lindo lindo lindo :)

Bom fim de semana*

Ana disse...

Não beijei o suficiente.

Lígia Gomes disse...

ligiaecompanhia.blogspot.com

Vanessa_Oliveira disse...

Lindo e delicioso.
adoro a Florbela ^^
beijos Tulipinha ****

Anita disse...

tens miminho no estaminé ;)


ADOROOOOOOOOOO

bj

Marta Pinto de Miranda disse...

gosto tanto, tanto de Florbela Espanca! ah poemas apaixonados, amor sentido! óptica associação a q fizeste :)

um bj*
marta
marcasporamor.com

estrela disse...

eu até vi que era dia do beijo mas depois esqueci-me....
:(